Escova progressiva: quais as alternativas para um cabelo liso?

Escova progressiva: quais as alternativas para um cabelo liso?

Com a popularização dos alisamentos capilares, surgiu uma série de especulações que, muitas vezes, não correspondem com a verdade. Entenda o que é mito ou verdade e conheça melhor os tipos de técnicas disponíveis.

Cabelos lisos. Eles viraram febre e tendência generalizada no início dos anos 2000 quando as chamadas escovas progressivas ou definitivas significaram uma verdadeira libertação do secador ou chapinha. Uma década depois, o liso – ainda que mais natural – continua em alta e levando as mulheres a longas sessões nos salões de beleza. Mas quais são os principais tipos de alisamento?

Existe atualmente no mercado uma grande variedade de escovas: inteligente, de frutas, marroquina, entre muitas outras. Apesar das suas diferenças, entretanto, todas possuem um fator comum: provocam dúvida sobre qual é a mais indicada e eficaz. De acordo com Linda Guedes, profissional do Dorinnhaa Studio de Beleza, ao optar pelo procedimento, é preciso estar atento não só para os cuidados pós-progressiva, mas também buscar informações sobre o assunto a fim de distinguir o que é mito e o que é verdade e assim, fazê-lo de forma segura.

Para começar a esclarecer as dúvidas mais recorrentes, é preciso conhecer a diferença entre as escovas que possuem ou não formol em sua composição. É comprovado que o efeito das duas são diferentes. “Aquelas que não têm formol, não alisam completamente os fios capilares. Isto porque a base química é o principal agente responsável pelo alisamento, explica Linda, argumentando ainda que toda pessoa pode investir no método, desde que não seja alérgica e esteja consciente dos riscos. “Quando um cliente me procura para fazer o alisamento eu explico que o passo inicial é diagnosticar o cabelo e saber se ele está preparado para receber a química. Depois disso, aconselho um tratamento profundo pré-escova e só então realizo o procedimento”, ressalta.

Outra informação importante é a respeito do uso do shampoo. Recomenda-se que a pessoa com alisamento use apenas do tipo hidratante. Vale destacar também que os produtos anti-resíduos não são indicados, pois fazem uma limpeza profunda nos cabelos, retirando toda a química presente. Linda pontua ainda que muitos confundem alisamento com relaxamento. “O primeiro sela o cabelo por completo, impedindo que outro produto penetre a raiz, além de alisar. Já o segundo apenas baixa o volume dos fios, não os deixa lisos e também não sela as mechas”, enfatizando que em ambos os casos, para um resultado positivo, é preciso investir em um profissional gabaritado e com bastante conhecimento sobre o método. Caso contrário, após uma aplicação mal feita, os fios podem até se partir. “O efeito dura até dois meses e meio. Então, havendo o desejo e levando em consideração todas as precauções, não há motivos para apreensão”, conclui Guedes.

 

 

 

Informações: Profissionais de Dorinnhaa Studio de Beleza

Rapha

Related Posts